Pra começo de conversa!

Por Rosiane Baga
Foto: Carlos Vilela

O ideal seria obedecer a “lei natural” das coisas impostas pelos blogueiros e inserir no primeiro post: perfil, objetivo, pretensão e etc. A partir do pressuposto de que na maioria das vezes a igualdade predomina na introdução dos blogs, veio à tona a justificativa do porque os alunos não costumam freqüentar a primeira semana de aula. Talvez seja uma comparação totalmente sem conexão mais válida quando se parte dessa representação uniforme encontrada nas duas circunstâncias.

Esta apresentação inicial pode ser considerada comum nos blogs assim como nas didáticas da primeira semana de aula nos centros de ensino, mas ao mesmo tempo complexa quando se trata do questionamento de “Quem sou eu?”. Esse é o típico assunto que de tão complicado instiga as respostas mais comuns. Muitas vezes as pessoas limitam todas as suas idéias aos elementos básicos de uma apresentação fazendo com que quem lê crie a sua própria definição a respeito dos indivíduos.

Já nas salas de aula, os alunos procuram não estar presente nessa prática comum do “Quem sou eu”, adotada de forma anual pelos professores considerados tradicionalistas e que não se enquadram em um diferenciado modelo pedagógico. O que é comum também nos blogs, porque na maioria das vezes as pessoas pulam a página porque estão cansadas de lerem a mesma apresentação.

Em todo caso é notória a dificuldade de responder a essa pergunta básica “Quem sou eu?” e ao mesmo tempo defini-lá. Seria o mesmo que falar de uma suposta linha editorial em um meio diversificado com vários segmentos. O certo é apostar na afirmação de que quem se define se limita e não discutir se é ou não é possível alterar a idéia de quem somos ou se esta idéia já está imposta pelos nossos antepassados.

Boa Semana a todos! Rosi ;)!







Comentários

  1. Adorei, Rosi. Quem sou eu? É muito difícil, mesmo.
    Parabéns!

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Marcelo Nogueira Campos28 de abril de 2010 10:05

    Sempre detestei reponder a famigerada pergunta "Quem sou eu?". Suas comparações são pertinentes, escritas num texto sutil que ganha profundidade à medida que vai desenvolvendo suas comparações. Parte do óbvio para chegar ao complexo de forma bem delicada.

    Marcelo Nogueira Campos.

    ResponderExcluir
  3. Aqui está um post pertinente! É dificil defenirmo-nos... Básicamente, em duas pinceladas, poderemos dizer o que salta na superficialidade... mas o "Eu" é muito mais complexo, cheio de meandros desconhecidos até para a maioria das pessoas...Complicado! No entanto, obrigado, por nos levares e reflectir sobre este tema.
    Beijos
    Graça

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Carmen Steffens apresenta linha de chinelos

Farm lança coleção com pegada oriental

Casa de Criadores: Alex Kazuo (outono-inverno 2017)

Gig Couture lança parceria com a C&A

As novas calças customizadas da Levi´s