Hoje os olhares espelham corações!

Por Rosiane Braga
Fotos: Vanessa Soares

E o comércio comemora o Dia dos Namorados! Vamos relevar o comércio porque é dia de falar de amor... Há pessoas que esperam o ano inteiro esta data, porque pelo menos neste dia presume-se um dia em que a tranqüilidade persiste nos relacionamentos. Se não está tudo bem, no dia dos namorados parece estar! Hoje os solteiros que fiquem em casa. Os revoltados por não compartilharem a sua “vida” com alguém, por motivos que prefiro não julgar neste espaço, sentirão atingidos no âmago de seu ser o peso da solidão. Os casais serão explícitos em todos os ambientes.

Mas, o que é o amor? Afeição, compaixão, misericórdia ou ainda inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc, etc... Na minha opinião é a palavra mais subjetiva que existe. Cada ser humano tem sua forma própria de amar e é a partir daí que surgem as cobranças. O desejo pela demonstração fala mais alto. Porque as pessoas sentem a necessidade de demonstrações platônicas de afeto? Eu que não sei responder. 12 de junho, dia dos namorados! Uma data que incentiva ou talvez determina a troca de presentes entre os apaixonados.

Estudos demonstram que o escaneamento dos cérebros dos indivíduos apaixonados exibe uma semelhança com as pessoas portadoras de uma doença mental. O amor cria uma atividade na mesma área do cérebro que a fome, a sede, e drogas pesadas, criando atividade Polimerase. Novos amores, portanto, poderiam ser mais emocionais do que físicos. Ao longo do tempo, essa reação ao amor muda e diferentes áreas do cérebro são ativadas, principalmente naqueles amores que envolvem compromissos de longo prazo.

Dr. Andrew Newberg, um neurocientista, sugere que esta reação de modificação do amor é tão semelhante ao do vício as drogas, porque sem amor, a humanidade morreria. Ah, sem amor eu nada seria! Faz muito sentido porque é imprescindível na vida de um ser o amor: materno, amigável, familiar dentre outros. Parabéns a todos os casais que demonstram afeto e valorizam a sua companhia.

Eu preciso de um companheiro? Nem sempre! Muitas vezes é melhor estar só do que mal acompanhado. Se você assumiu um compromisso com alguma pessoa, respeite-a. A fidelidade é a maior expressão de respeito com o outro. Se não tem condições de exercê-la não assuma compromisso. Sentimento é uma coisa rara. Um dia pode ser você do outro lado.
Se for amor que seja verdadeiro...

Comentários

  1. Marcelo Nogueira Campos13 de junho de 2010 20:27

    Uma reflexão profunda e pertinente sobre o amor. São várias as formas de se definir esse sentimento tão complexo e várias são as formas também de exercê-lo. Muitas ainda não se deram conta disso. Mas, a opinião comum é unânime: o amor provoca reações inesperadas e muda o comportameno humano. Por ser tão profundo é que concordo com a opinião final do texto. A fidelidade é algo essencial. Não se pode bricar com os sentimentos dos outros.
    Parabéns pelo muito bem escrito texto, como sempre!!

    ResponderExcluir
  2. Marcelo Nogueira, sempre por aqui!
    Obrigada pela sua visita :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Carmen Steffens apresenta linha de chinelos

Kim Kardashian na capa da ‘Harper’s Bazaar’

SP Fashion Week N44: Osklen

Conheça os danos da maquiagem vencida

Gig Couture lança parceria com a C&A