Um causo em vorta da fogueira!

Oi gente, eu demoro vim aqui, mas hoje me deu uma sordade dôceis. E eu tô toda animadinha, porque aqui na minha terra tem umas festas de quadria com um povo muito bão e com esse friozinho ai que o trem fica mió ainda. Mais eu vô conta um causo pro ceis.

Por Rosiane Braga
Fotos: Retiradas do Google.com

Tinha um homê chamado Tobi que há muitos anos cuidava da terra do João. Só que o tal do João era muito ruim e colocava umas ideia isquisita na cabeça. Ele encuco que o Tobi ia tomar a terra dele e colocou o pobre coitado pra fora da terra. Só que o Tobi muito desconsolado pediu até pelo amor de Deus pra deixa sua muié e seu filho viver lá, porque não tinham pra onde ir. O Tobi rodeava a terra dia e noite. Um dia o Tobi cismo que não podia morrer sem casar o único filho dele, o Tobias. Um conhecido de Tobi, um tal de Zé das cobras, que era chamado por esse nome porque matava as cobras na mão mesmo, foi morar na terra do João e cuidar dela no lugar do Tobi. Ele convenceu o João a deixar o Tobi entrar lá, só pra pegar o coitado do minino e ajeitar esse casório.

Lá do outro lado da serra tinha um tar de Joaquinzão, pensa nun homê grande, que tinha uma fia conhecida como Maria trupica. Sê não a de ver que a Maria vivia trupicano pelo quintar. Foi o coitado do Tobi arrastando o Tobias, bate lá na casa do Joaquinzão pra mode ajeitá o casamento dos dois. O Tobi começô a conversa com o Joaquinzão e quando ele contou que a Maria trupica era viúva sete vez, o Tobias arregalô os zoio. “Meu caro amigo Joaquinzão, o que acontece com os marido da sua fia que rapidin vira falecido?”, perguntou o Tobi. O Joaquinzão meio sem jeito falô assim: “Uai sô, eu não entendo não, eles entra lá pra dentro do quarto pra consuma o casamento e dá um escurão, que os coitado cai duro no chão”.

O minino Tobias saiu coçano a cabeça lá de dentro da sala e não sabia o que fazê. Tava com medo de casar com a Maria trupica e rapidin falecê. Ele começô a andar ao redô da casa quando viu um homê novo, andando pela estrada. Ele chamô e pergunto pro homê se ele já tinha ouvido fala e sabia do motivo das mortes dos marido da Maria trupica. O rapaiz todo educado falô pro Tobias que era um enviado de Deus que vinha pra ajeitá esse casório. Ocê mata um animar e oferece ele pra uma família pobre, mas guarda o coração. Quando chegâ de noite na hora que ocê tive na frente da Maria, ocê coloca o coração pra queima prô chero espantâ esse demônio e ele não te matá. O Tobias ouviu com atenção e vorto pra casa do Joaquinzão com um sorrisão. Ocêis ajeita logo essa festa que eu to decidido a me casar. Maria trupica toda desolada já começô a pular de aligria. Quando chegou no dia da festa, o Tobias não esperô ela neim cabar e foi logo pro quarto com a Maria que não parava de trupicar. O Joaquinzão já tinha ido pro quintar furar a cova do minino. O Tobias pegô o coração e colocô pra queimar e quando o demônio apareceu de noite começou a engasgar. 

No outro dia cedo, a Maria trupica levantou e o povo tava tudo esperando a notícia da morte do minino. Quando a Maria apareceu, foi logo contar que o marido não morreu e que ainda por cima tinha parado de trupicar. O povo tão feliz começô a festar! Tobias feliz com o casório pegou a Maria, que já não tropicava mais, e foi com o seu pai na terra do João. O João que era muito mal ficou comovido com a história e deixou todos eles ficar. A mãe do minino sorridente contou pra eles muito contente que o tal do anjo Rafael foi na casa dela na noite passada e contou que o minino ia se salvar. Ô minino bão soh! Não a de vê que o coitado não morreu....





Comentários

  1. A magia do mês de junho,


    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. .

    Muito bem narrado, parece que eu
    estava nesse arraial ouvindo você
    falar.

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  3. Olá querida adorei seu blog, adoraria receber sua visita em meu blog e se gostar por favor siga-me.
    Bjinhos muito obrigada!

    http://unhasdadanny.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Catia Bosso Poesias. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Después de aplicar el traductor, pude al fin leerla, je, muy bueno el ritmo narrativo, y mejor final.
    Vuelvo, Beso

    ResponderExcluir
  6. Gente, feliz dimais docêis vim aqui uai!
    Beijokas

    ResponderExcluir
  7. olá! eu sou a maria helena do dollsfashionistas.blogspot.com beijinhos ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Carmen Steffens apresenta linha de chinelos

Time de peso divulga Morena Rosa

Kim Kardashian na capa da ‘Harper’s Bazaar’

SP Fashion Week N44: Osklen

Gig Couture lança parceria com a C&A