O desaparecimento do verde


Por Rosiane Braga
Fotos: Retiradas do Google.com

A ascensão do mercado imobiliário no Brasil é aplaudida por muitos. De fato o setor tem grande potencial e em movimento reflete na economia. A justificativa para o alto crescimento de mercado gira em torno do déficit habitacional acoplado ao desejo da sociedade de adquirir a casa própria. O “boom imobiliário” acarretou em um crescimento desordenado resultando impactos ambientais. A fauna e a vegetação são expulsas, destruídas ou removidas. Aumento das construções revela o desenvolvimento da sociedade, mas providências devem ser tomadas para que isso também contribua para o desenvolvimento sustentável. 

Adoção de ferramentas gerenciais como a implantação de um sistema de gestão ambiental e alternativas que atuam na redução de impactos ambientais são recomendações da legislação brasileira, o que falta é conscientização e fiscalização. O que foi mencionado é apenas um dos motivos para a mudança de cenário que o mundo está vivendo. De fato a situação é preocupante! Muitas pessoas planejam projetos relevantes para a sociedade, mas que acarretam a devastação ambiental. O problema é exposto todos os dias e como muitos assuntos, viram apenas leitura de manchete. 

Segundo a Agência Brasil, um levantamento divulgado pela prefeitura do Rio de Janeiro mostra que com a especulação imobiliária e o avanço das favelas, a área verde por habitante na cidade caiu 26% . Nos últimos 30 anos a cidade perdeu pelo menos 6,7 mil hectares de cobertura vegetal. E este é um problema que veio à tona, sabe-se que assim como no Rio de Janeiro outras cidades perdem a cada ano um pouco da sua cobertura vegetal. O Instituto Brasileiro de Florestas mostra que a Mata Atlântica, que corresponde 13,04% do território nacional, teve praticamente 90% de sua extensão territorial brasileira destruída. Apesar de ser o bioma mais protegido por lei, o restante da sua área encontra-se sob ameaça constante. 

Como diz o compositor Paulo Cézar Pinheiro, “a natureza está reclamando, as matas sumindo da nossa bandeira”, só que apenas alguns estão chorando pela natureza. O verde desaparece de cena! De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o desmatamento total da floresta Amazônica já atingiu 14,6%. Quase 300 espécies animais e vegetais desaparecem todo dia em todo o mundo, o que ninguém imagina e que faz parte da estatística, a árvore cortada do quintal da sua casa ou a que foi retirada para fazer a obra do vizinho. Policiamento, controle, planejamento, vigilância, conscientização, programas, resolve o problema! Alguém se habilita? Viva o verde....

Comentários

  1. Foi um prazer encontrá-la em meu cantinho.
    Obrigado pela visita.
    Já sou seu seguidor também.
    Suas postagens sâo muito boas.
    Temas atuais e pertinentes.
    Volte sempre.
    Um grande abraço daqui de Dourados/MS
    Paz de Jesus em seu coração.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Professor Gilberto Cantu...
    Que a Paz sempre esteja conosco!

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida
    Se puder, dê uma olhada no meu post de hoje pois participo da Teia Ambiental... a cada dia 7 do mês...
    O seu post é bem atual e ecológico...
    Bjm de paz

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Obrigada pela presença no blog, Seja Muito Bem Vinda sempre, e volte quando quiser, será muito bom tê-la por lá!
    Muito bom teu blog, esclarecedor ..Parabéns!
    Grande bj no coração.
    Lecy'ns

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Carmen Steffens apresenta linha de chinelos

Farm lança coleção com pegada oriental

Casa de Criadores: Alex Kazuo (outono-inverno 2017)

Gig Couture lança parceria com a C&A

As novas calças customizadas da Levi´s