Não sei o que o amanhã trará!

Uma grande poesia nunca morre, ela sempre ficará presa a nós seja por uma lembrança envolvente que arrepia a gente ou por marcas doloridas daquelas que atravessam a alma. Engana-se quem sente preso apenas àquelas que foram traçadas pelas próprias mãos. A poesia com sua magnificência atinge qualquer “alvo” e mesmo por um gênero característico, estruturado em versos, raramente é pouco compreendida. Nos 125 anos de um dos maiores poetas da literatura universal, Fernando Pessoa continua e permanecerá como fonte de inspiração. O lisboeta é um dos mais conhecidos além das terras portuguesas por sua poesia extremamente sedutora, que trata de questões universais. Um personagem marcante em músicas e na cultura brasileira. 

Aos 96 anos, a imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), Cleonice Berardinelli, conhecida apenas como Dona Cléo, é autora da primeira tese no Brasil sobre o poeta, a segunda sobre o tema no mundo. Para os amantes da literatura do hábil escritor, na 11ª Flip – Festa Literária Internacional de Paraty que será realizada em julho, o mesmo será homenageado por Dona Cléo e por Maria Bethânia. A cantora confessou que Fernando Pessoa é o poeta de sua vida. São diversos os poemas cantados e declamados pela artista desde a década de 1970. O fascinante é saber que mesmo in memoriam, Pessoa continua a publicar e, melhor ainda, vai continuar a publicar nos próximos anos. 

Há um espólio literário guardado na Biblioteca Nacional de Portugal. No acervo, estão guardadas 27.543 folhas de papel escritas por Fernando Pessoa, compradas por Portugal em 1969, e mais 249 documentos também escritos pelo autor e adquiridos a partir de 1980. Todo o conjunto foi digitalizado e estará disponível ao público em 2014. A expectativa é que dentre as obras haja poemas desconhecidos, seria surpreendente poesias inéditas. Um dos mais aclamados poetas, assim como os grandes navegadores portugueses, acreditava que se arriscar é viver. Dizem que ele escreveu na cama do hospital a frase: “I know not what tomorrow will bring” (Não sei o que o amanhã trará). Saudações ao eterno poeta, como entoa a canção “o poeta está vivo, com seus moinhos de vento, a impulsionar a grande roda da história".

*Parte da obra publicada de Fernando Pessoa no Brasil está disponível gratuitamente na internet nas páginas do Domínio Público (Ministério da Educação): http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.jsp

Comentários

  1. E que todos se arrisquem em lê-lo. Valerá a pena. Afinal: "Somos todos míopes, excepto para dentro. Só o sonho vê com o olhar."

    Obrigada pelas dicas. Vontade de ir a Paraty... Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. É uma certeza que a poesia com sua magnificência atinge qualquer “alvo” e que esta vai flutuando até onde menos se espera.

    ag

    ResponderExcluir
  3. Vim deseja uma paz no seu coração
    www.samukatraquina.blogspot.com.br espero vc lá estou te seguindo será que vc poderia me segui tambem obrigada

    ResponderExcluir
  4. Vi muita em comum comigo por aqui Rosiane, entre elas me vi muito nesse texto. Admiro dois poetas em especial da língua portuguesa, apesar de ser da terra de Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e Fernando Pessoa, não se sinta obrigada, você não me deve nada, mas te convido prá dar uma passadinha no meu blog além dos meus escritos posto em especial muita coisa deles, poesias, vídeos, entrevistas, poesias as recitadas, que por acaso tem o nome de : http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Kim Kardashian na capa da ‘Harper’s Bazaar’

SP Fashion Week N44: Osklen

Sandálias da Ipanema ganham novas cores

Carmen Steffens apresenta linha de chinelos

Conheça os danos da maquiagem vencida