Uma pedra sobre o boato

Dizem que tudo começou pelas redes sociais e em pouco tempo as Agências da Caixa Econômica Federal (CEF) e Correios já estavam lotadas. As especulações se alastraram na Paraíba, no Amazonas, Maranhão e o Rio de Janeiro, mas também chegou aqui.... Logo, logo apareceu o posicionamento da presidente Dilma que a suspensão do Bolsa Família era só boato e assegurou o compromisso do governo dela com o programa. Não é que deu certo: a piadinha de “mau gosto”! Depois do bafafá, todas as autoridades envolvidas e até as desconhecidas que se achavam merecedoras de algum pronunciamento começaram a criticar o piadista. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou a abertura de inquérito pela Polícia Federal (PF) para apurar a origem do boato. De onde veio a conversa?

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, fez um apelo para que a população seguisse o calendário do governo para saque do benefício do Programa Bolsa Família e não procurasse as agências da CEF e dos Correios antes da data. Mas o povo ainda estava preocupado e a fila era grande... E o assunto passou a ser prioridade pela PF. Cardozo chegou a afirmar que a velocidade que os boatos se espalharam levantou a suspeita de que a ação pode ter sido “orquestrada”.O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que “no Brasil tem milhões de pessoas boas, pessoas honestas, mas tem gente que veio ao mundo para fazer o mal". Ao ser questionado por jornalistas se a disseminação do boato teria motivação política, o ex-presidente respondeu "eu não sei".

O PSDB no Senado chegou a protocolar na Procuradoria-Geral da República representação para que o órgão investigasse se a CEF cometeu crime de responsabilidade de falsidade ideológica no episódio dos boatos do fim do benefício. Os tucanos relataram que a CEF se contradisse ao informar, em um primeiro momento, que não havia feito alterações no calendário de pagamento e, depois, admitiu que fez a liberação de todos os benefícios na véspera do incidente. Muita gente falou e.... os boatos sobre o fim do Bolsa Família tiveram origem espontânea. Esta foi à conclusão das investigações da PF sobre o caso. As investigações apontaram que “o boato foi espontâneo não havendo como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo tenha causado os boatos envolvendo o Programa. Conclui-se, assim, pela inexistência de elementos que possam configurar crime ou contravenção penal".

O 3º Juizado Especial Criminal de Brasília determinou neste domingo (21) o arquivamento da investigação que apurava a autoria de boato. O arquivamento do inquérito foi informado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Segundo o tribunal, o arquivamento da investigação do boato, que “teria ocasionado prejuízo à CEF, bem como pânico e tumulto em todo o país”, foi pedido pelo Ministério Público por não identificar "nenhuma comprovação idônea e adequada de que o crime em investigação tenha sido praticado". A CEF registrou 920 mil saques de beneficiários do programa após a notícia do possível fim, foram sacados R$ 152 milhões, mas quem plantou a “semente” ninguém ficou sabendo. Agora, não mais comentam o boato!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carmen Steffens apresenta linha de chinelos

Farm lança coleção com pegada oriental

Casa de Criadores: Alex Kazuo (outono-inverno 2017)

Gig Couture lança parceria com a C&A

As novas calças customizadas da Levi´s