Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Muito lixo em pouco prazo

Integrantes da 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente consideraram muito curto o prazo, até agosto do ano que vem, para erradicar os 3 mil lixões do país. Durante a Conferência, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) defendeu a revisão do prazo fixado na lei. De acordo com ele, é um prazo curto para a implementação da política e por causa do pouco tempo não vai dar tempo de fazer algo bem feito. Também foi exposto o fato de que alguns prefeitos se sentindo pressionados estão recorrendo à incineração dos resíduos para que eles não sejam enviados aos lixões.

Segundo o secretário de Gestão Ambiental de São Bernardo do Campo, em São Paulo, João Ricardo Caetano, além de acabar com os lixões, será preciso, na sequência, tratar o passivo ambiental gerado pela disposição inadequada de resíduos ao longo dos anos. São quase 3 mil lixões espalhados em 2.800 cidades. Autoridades e ambientalistas reclamam da falta de uma política pública que ofereça recursos e assistência técnica para grande parte da…

O desafio continua

Assunto já tratado aqui é a meta do Brasil de acabar com todos os lixões do seu território até 2014. O país tem 2.906 lixões em atividade e das 189 mil toneladas de resíduos sólidos produzidas por dia apenas 1,4% é reciclado. Desde a instituição da lei estamos acompanhando todas as medidas propostas para solucionar o problema e com o fechamento do Aterro Sanitário de Gramacho questionamos o destino da categoria de catadores de papéis.
Em julho deste ano o governo disponibilizou em um programa R$ 200 milhões em créditos para empreendimentos de catadores de materiais recicláveis. A partir daí foi na 1ª Conferência Livre de Meio Ambiente de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis do Estado do Rio de Janeiro que a categoria reivindicou que os resíduos fossem destinados às cooperativas em vez de serem enviados às empresas de reciclagem. E será na 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente, evento que ocorrerá em Brasília, de 24 a 27 de outubro, a discussão da geração e o tratamento d…

Entre os melhores do mundo

O melhor lugar para caminhadas em área urbana do mundo fica no Brasil. Este foi o título que o Parque Nacional da Tijuca, unidade de conservação do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), na capital fluminense, recebeu pelo Lonely Planet, considerado o maior guia de viagens do mundo. A nova edição do guia lista mil aventuras ao redor do planeta e faz um ranking dos melhores locais. O ranking coloca as trilhas do parque carioca acima das de outros lugares como Londres, capital inglesa; Cidade do Cabo, na África do Sul; Sidney, na Austrália; e Vancouver, no Canadá. A escolha foi feita pelos editores do próprio Lonely Planet.
O PNT é parte integrante da Reserva da Biosfera no Rio de Janeiro, criado em 6 de julho de 1961 e é atualmente o parque nacional mais visitado do Brasil, recebendo mais de 2 milhões de visitantes por ano. Sua área tem quase 200 quilômetros de trilhas abertas e sinalizadas, além de mirantes, recantos e lagos. O parque recebe cerca de 7 mil visitantes por …

Trilhas de Honestino

O que aconteceu com o meu pai? Quem o matou? E onde está o seu corpo? Perguntas que há quarenta anos perturbam a mente de uma filha sem notícias do pai. Cansada de esperar por resposta, Juliana Botelho filha do líder estudantil Honestino Guimarães, desaparecido há 40 anos quer resgatar a memória do militante e ter pistas do desaparecimento dele. A campanha Trilhas de Honestino lançada em uma audiência pública da Comissão Estadual da Verdade do Rio (CEV-Rio), no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro tem o objetivo de levantar documentos, registros históricos e relatos que possam ajudar a estabelecer a verdade sobre o que aconteceu.
O Caso Honestino, que desapareceu em 10 de outubro de 1973 é considerado o “mais nebuloso” entre os desaparecidos políticos. De acordo com o presidente da CEV-Rio, Wadih Damous, na história dos desaparecimentos políticos forçados na ditadura é único, em que não há rastros. Ele ressalta ainda que as buscas irão s…