Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2014

Mulheres preferem Lepo Lepo

Imagem
Quem nunca ouviu a frase de que no Brasil uma frase qualquer vira música. Mesmo em tom pejorativo a população não se preocupa com as ironias do gosto musical brasileiro e continua a aderir às novidades, principalmente as onomatopeias e palavras que não fazem sentido algum, mas grudam na cabeça de quem está ouvindo. Depois de Michel Teló com “Ai se eu te pego”, Munhoz e Mariano com a história de uma herança que rendeu o abandono de sua GG, para aquisição do camaro amarelo fazendo metáfora ao doce para conquistar as mulheres... Veio ainda Gabriel Gava com o questionamento de que pegar a gata com uma Land Rover é fácil quer ver é uma delas entrar na Fiorino. 
Os ritmos pegaram, mas algumas mulheres se irritaram com a presunção de que a maioria delas são interesseiras. Mas para este ano o ritmo promete ser diferente. Candidata à música do Carnaval em 2014, “Lepo Lepo” do grupo Psirico, é a música mais vendida no Brasil através do iTunes. O vocalista da banda, Márcio Victor explicou que a…

Blocos de carnaval completam anos de história em 2014

Imagem
A cultura não deve morrer. Esse é o significado em iorubá do primeiro bloco afro do Maranhão, o Akomabu. Antes do grupo veio o Centro de Cultura Negra do Maranhão (CCN), criado em 1979, com atuação mais política. O povo ia às ruas por democracia. Hoje, são 600 associados entre crianças e adolescentes; uma congregação de dança, música, o tambor e a religião. Para o sociólogo Alderico Segundo, o impacto do Akomabu na cultura maranhense vai além dos blocos afros. “A influência afro não está só no que diz respeito aos instrumentos, a gente percebe na questão do uso de indumentária, nas alegorias, na própria dança", salientou.

O combate à discriminação está nos versos. "Chibata, corrente, pra mim tudo já se quebrou, preconceito e racismo ainda não acabou. Mostre as armas meu pai é preciso lutar pra fome e miséria ter que acabar. Akomabu combatendo o preconceito e o racismo, revela o passado do negro que estava escondido”, diz a letra da música Negro e uma falsa abolição. O bloco…

Banda faz desfile preventivo contra as drogas

Imagem
A Banda Alegria sem Ressaca levantou, mais uma vez, a bandeira da prevenção ao abuso de álcool e ao uso de drogas ilícitas. Tradição no período pré-carnavalesco, no Rio de Janeiro, a banda fez seu 11º desfile preventivo contra as drogas e reuniu mais de mil foliões na orla de Copacabana. 
O presidente da Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas (Abrad), psiquiatra Jorge Jaber, explicou que eles não estão contra o consumo de álcool no carnaval, mas aproveita o período para mostrar que o exagero pode causar problemas sérios. A associação reuniu parentes de pessoas que morreram devido ao uso de drogas. 

O desfile deste ano contou com o apoio da Associação Trânsito Amigo, fundada por Fernando Diniz há oito anos, depois de perder um filho em um acidente de trânsito, na Barra da Tijuca. E também com a presença da atriz Luiza Tomé, que teve na própria família dois casos de dependentes químicos. Outro ator, Edward Boggiss, que está em processo de recuperação, também participou.
Outros par…